Manchete Notícias Política Sarandi

Promotoria pede à Sejuv relação de atividades feitas na Guarda Mirim em 2016

A 1ª Promotoria de Justiça de Sarandi segue investigando “possível irregularidade” no pagamento de horas extras na Guarda Mirim, em 2016. Documentos que atestem as atividades realizadas no projeto foram solicitados à Sejuv (Secretaria de Juventude, Cultura, Esporte e Lazer).

Em março, o SarandiPR.com publicou que o inquérito civil nº 0138.17.000271-9 apura “possíveis irregularidades” nas horas extras pagas aos dois guardas municipais responsáveis pelo projeto. O inquérito foi instaurado em 7 de março pelo promotor Alexandre Misael Souza (leia mais).

No último dia 18, o promotor Misael Souza solicitou cópias de “todos” os documentos produzidos em 2016 durante a realização do projeto. O pedido foi encaminhado ao secretário da Sejuv, o professor Cláudio de Souza.

Documentos

A promotoria quer os registros de aulas, projetos, listas de presença, cadastros ou fichas dos professores e alunos participantes. Também foi solicitado fotos e vídeos “que atestem quantas e quais foram as atividades realizadas” na Guarda Mirim, em 2016.

Depoimento

O ex-chefe da Divisão da Juventude, Adriano Amorim (deixou o cargo em julho de 2016), foi notificado a prestar declarações sobre o caso na 1ª Promotoria, em 19 de abril.

A Guarda Mirim foi implementada junto à Sejuv (Secretaria Municipal de Juventude, Cultura, Esporte e Lazer). Entre fevereiro e dezembro de 2016, a pasta foi chefiada pela ex-secretária Suellen Grava Monteiro.