Carta aberta: UEM sai em defesa das instituições de ensino superior do Paraná | SarandiPR.com

publicidade - anuncie neste espaço

Carta aberta: UEM sai em defesa das instituições de ensino superior do Paraná

A Comissão em Defesa da Universidade Estadual de Maringá divulgou, nesta terça-feira (18), carta aberta em defesa das instituições de ensino superior do Paraná. O documento fala em garantir o futuro da UEM (Universidade Estadual de Maringá).

Outra preocupação da Comissão, e garantir a “formação de pessoas, o desenvolvimento de pesquisas e a oferta de serviços à sociedade”. Dentre as autoridades, o prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), assina a carta.

Leia, abaixo, o conteúdo da carta da UEM na íntegra:

“Carta Aberta da Comissão em Defesa da Universidade Estadual de Maringá aos cidadãos paranaenses

Prezados cidadãos e cidadãs do Paraná, em especial de Maringá e Região, nós, da COMISSÃO EM DEFESA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE
MARINGÁ, constituída em reunião realizada em 17 de abril de 2017, preocupados com o destino da NOSSA UEM, Patrimônio Público do Povo do Paraná, externamos nosso compromisso em defesa desta instituição de ensino superior. A proposta é garantir o futuro da UEM, a formação de pessoas, o desenvolvimento de pesquisas e a oferta de serviços à sociedade, com alto padrão de qualidade, pautados no espírito público.

Nos últimos anos, as universidades públicas do Paraná têm sofrido com a não reposição do quadro de professores e agentes universitários e com os cortes orçamentários para as despesas de custeio. Essas medidas vêm prejudicando as atividades na UEM, comprometendo a formação acadêmica e colocando em risco a excelência do ensino, pesquisa e extensão alcançados ao longo de quase 50 anos de história.

Os maiores danos são sentidos pelos cursos criados a partir de 2010, muitos dos quais não contam com professores efetivos em seus quadros. Outro agravante é a falta de infraestrutura. Hoje, a Universidade convive com a triste realidade de obras inacabadas. São 36 construções paralisadas, das quais 15 de grande porte, sem os recursos financeiros necessários para a conclusão.

Com 69 cursos de graduação, 52 de mestrado, 26 de doutorado, 60 de especialização, 450 projetos extensão e 920 projetos de pesquisa, a UEM é reconhecida como uma das melhores universidades do Brasil. Porém, a continuidade da política de cortes certamente se refletirá na qualidade dos serviços prestados, na formação de alunos e na produção de pesquisas, significando a rápida degradação deste importante Patrimônio Público do interior do Paraná, comprometendo o futuro da UEM, uma das melhores universidades do Brasil e América Latina em todas as áreas do conhecimento.

A UEM foi criada a partir da vontade da comunidade maringaense e da região, que soube firmar coalizões externas e atuar para que o governo da época assinasse o projeto de lei de criação da Universidade. Como teria sido o desenvolvimento regional sem a presença da UEM? Deixaremos que esse exitoso projeto seja comprometido?

Por isso, nós da COMISSÃO EM DEFESA DA UEM somos contrários à continuidade dos cortes orçamentários, à falta de reposição de agentes universitários e professores efetivos, em regime de dedicação exclusiva. Nosso objetivo é unir esforços e, de forma organizada ampliar o canal de comunicação com o Governo do Estado, dialogando em prol da Universidade e garantindo que esse Patrimônio Público continue se desenvolvendo conforme idealizado.

Considerando que o sucateamento é um problema que atinge as demais universidades estaduais, convidamos toda a sociedade paranaense a se unir na ação em defesa das Instituições Públicas de Ensino Superior, Patrimônio Público do Interior do Paraná.

Assinam este documento:

Ulisses Maia – Prefeito de Maringá.
D. Anuar Battisti – Arcebispo da Arquidiocese de Maringá.
Pr. Noel Cruz – Presidente da Ordem dos Pastores de Maringá.
Carlos Mariucci – Câmara Municipal de Maringá.
Sidney Teles – Câmara Municipal de Maringá.
Ana Cláudia Bandeira – Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Maringá).
Mohamad Ali Awada – Associação Comercial e Industrial de Maringá (Acim).
Ilson da Silva Rezende – Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá
(Codem).
Carlos Alexandre Ferraz – Sindicado da Indústria do Vestuário de Maringá
(Sindvest).
Álvaro Pereira da Silva – Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado
do Paraná (Sinduscon-Nor).
Walter Fernandez – Sindicato dos Empregados no Comércio de Maringá
(Sincomar).
Aline Stocco – Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material
Elétrico do Paraná (Sindmetal).
Dirceu Gambini – Convention Visitors Bureau de Maringá.
Edmilson A. Silva – Seção Sindical dos Docentes da UEM (Sesduem).
Nelson Garcia – Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino
de Maringá (Sinteemar).
Sidinei Silvério da Silva – Associação dos Funcionários da UEM
Elaine Rosely Lepri- Associação dos Docentes da UEM (Aduem).
Leonardo Fagundes – Diretório Central dos Estudantes (DCE).
Virgílio Marchesini – Movimento Brasil Livre.
Marcos Roberto Silva – Centro Acadêmicos de Engenharia Elétrica”

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos! Curta as redes sociais do SarandiPR.com.

Assine ao newsletter do SarandiPR.com e receba notícias, ofertas e novidades em primeira mão. É grátis.

Os comentários não representam a opinião do SarandiPR.com, mas, sim, de seus autores. Os comentários serão moderados para que, assim, nenhum conteúdo de cunho ofensivo, racista ou preconceituoso seja publicado nesta plataforma. No mais, toda opinião é sempre bem vinda.

Comentários

Cite o SarandiPR.com ao reproduzir conteúdos do site.

WordPress / CC 4.0 - Faça uma doação.