Manchete Notícias Região

MP investiga se slogan da prefeitura de Maringá em panfleto foi “autopromoção”

O MP (Ministério Público) de Maringá investiga “possível autopromoção” em panfleto produzido durante as gestões anteriores a Ulisses Maia (PDT). No impresso, foi divulgado o logo da prefeitura e o slogan “construindo uma cidade cada vez melhor”.

O inquérito civil foi instaurado pela portaria nº MPPR-0088.17.000724-4, de 14 de fevereiro, assinada pelo promotor Leonardo da Silva Vilhena, na 20ª Promotoria de Maringá. Os panfletos foram feitos para o Centro de Referência e Atendimento à Mulher.

Foi a atual gestão quem comunicou a 19ª promotoria sobre a “possível autopromoção” nos panfletos “confeccionados na Administração anterior”. A prefeitura identificou que os panfletos tinham um adesivo colado sob símbolo e o slogan “que identificava a gestão anterior”.

Além de citar “possível violação aos princípios da impessoalidade, moralidade e legalidade”, o promotor ressaltou desperdício do dinheiro público, já que não será possível usar o material.

A promotoria não relacionou diretamente o símbolo às gestões Roberto Pupin e Sílvio Barros, ambos do PP (Partido Progressista), mas falou no “grupo político que exerceu a chefia do Executivo nas últimas três gestões”. Pupin foi prefeito nos últimos quatro anos. Antes dele, Sílvio foi prefeito por duas gestões.

“Tendo em vista a possibilidade de prática de ato de improbidade administrativa, necessário o aprofundamento das investigações”, reforçou o inquérito.

Promotoria fala em “possível violação aos princípios da impessoalidade, moralidade e legalidade”. Foto: reprodução/SarandiPR.com.

Promotoria

Ao instaurar o inquérito, o promotor solicitou ao prefeito Ulisses Maia que esclarecesse se o símbolo é considerado oficial do município e aprovado em lei. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Maringá, não é.

O promotor Vilhena também questionou a gestão atual se o símbolo identificou “apenas uma gestão ou um grupo político” (Pupin e Barros, no caso) e se foi usado em outros materiais ou bens públicos. O que foi confirmado pela pela assessoria de Maia.

Por fim, Vilhena quis saber se o símbolo e slogan foram usados na campanha eleitoral do ano passado, bem como o número de panfletos emitidos com o símbolo “ou pelo menos passar uma ideia da quantidade e do valor envolvido”. A atual gestão não soube informar.